PLANTAS TÓXICAS
Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais.
A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso


LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS
Clique para consultar

quinta-feira, 23 de julho de 2009

ALECRIM-DE-CAMPINAS - Holocalix balansae Mich - Planta Venenosa-45

Folhagem
Característica do tronco
Árvore
ALECRIM-DE-CAMPINAS
FAMÍLIA: : Caesalpinaceae
NOME CIENTÍFICO:Holocalyx balansae Mich.
NOME POPULAR
alecrim, alecrim-de-campinas, pau-alecrim, ibirapepê
PARTES TÓXICAS: a planta toda
PRINCÍPIO ATIVO
Planta cianogênica, que possui glicosídeo cianogênico como princípio ativo principal, que se torna tóxico ao entrar em contato com enzima específica, presente no trato digestivo, que o hidroliza produzindo desta forma ácido cianídrico, glicose e benzaldeído. Os efeitos tóxicos, se devem por sua vez, ao íon cianeto, proveniente do ácido cianídrico, que atua inibindo a enzima citocromo oxidase, desta forma impedindo que as células recebam oxigênio das hemácias.
SINTOMATOLOGIA
alteração da postura (desequlíbrio);cabeça baixa;apatia; taquicardia; dispnéia; pulso negativo; poliúria. Evolução dos sintomas para contração espasmódica da musculatura dos membros e pescoço, culminando em queda brusca e permanência em decúbito lateral
Os sintomas podem aparecer de 3 a 5 minutos após ingestão da planta, podendo regredir entre 6 a 8 minutos ou evoluir até o óbito em 3 a 5 horas.
TRATAMENTO
Pronto atendimento. Exames laboratoriais para detecção de tiocianatos na saliva ou cianeto no sangue.Nitrito de Amila por via inalatória 30seg a cada 2min: formação de cianometahemoglobina (atóxica).Nitrito de Sódio 3% - 10ml EV (adultos), se neces. tratar com Azul de Metileno + Vit C.Hipossulfito de Sódio 25% - 25 a 50ml EV (adultos), 1ml/Kg (crianças). Dão origem a tiocianatos.O2.Hidroxicobalamina 15000mcg EV-formação de ciano-Cobalamina (atóxica). Esvaziamento gástrico.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
É uma árvore de crescimento lento, de médio porte que atinge um porte de 10 a 25 metros de altura e de copa globosa. Tronco característico, muito irregular, com sulcos profundos e abertos. Casca áspera cinzenta-escura , fina, que se descasca irregularmente. Folhas compostas, paripinadas alternas com cerca de 40 folíolos folíolos verde-escuro e brilhantes, oblongos, estreitos, irregulares na base e muito nervados, glabros, pecíolo curto e caniculado na face inferior. Flores pequenas e esbranquiçadas se reúnem em inflorescência axilar. Fruto drupa globosa, do tipo vagem, com uma ou duas sementes grandes.
ORIGEM: Brasil

Fonte
www.agrov.com/vegetais/plantas/alecrim.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário