PLANTAS TÓXICAS


Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais. A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso

ATENCÃO

AVISO IMPORTANTE

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

PREVENÇÃO

1 - Mantenha as plantas venenosas fora do alcance das crianças e animais de estimação.

2 - Conheça as plantas venenosas existentes em sua casa e arredores pelo nome e características.

3 - Ensine as crianças a não colocar plantas na boca e não utilizá-las como brinquedos (fazer comidinhas, tirar leite, etc.).

4 - Não prepare remédios ou chás caseiros com plantas sem orientação médica.

5 - Não coma folhas, frutos e raízes desconhecidas. Lembre-se de que não há regras ou testes seguros para distinguir as plantas comestíveis das venenosas. Nem sempre o cozimento elimina a toxicidade da planta.

6 - Tome cuidado ao podar as plantas que liberam látex provocando irritação na pele e principalmente nos olhos; evite deixar os galhos em qualquer local onde possam vir a ser manuseados por crianças; quando estiver lidando com plantas venenosas use luvas e lave bem as mãos após esta atividade.

7 - Em caso de acidente, procure imediatamente orientação médica e guarde a planta para identificação.

8 - Em caso de dúvida ligue para o Centro de Intoxicação de sua região

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

domingo, 2 de setembro de 2018

CEREJA-NEGRA (SEMENTES) - Prunus serotina - Planta toxica - 188






FAMÍLIA
Rosaceae

NOME CIENTÍFICO
Prunus serotina

NOME POPULAR
cerejeira negra, cerejeira brava silvestre, cerejeira de rum ou cerejeira negra de montanha

SINONÍMIA

PARTE TOXICA
Sementes trituradas

PRINCIPIO ATIVO
Glicosídeo cianogênico amigdalina

SINTOMAS
No momento em que essas sementes trituradas entrarem em contato com enzimas gástricas, a amigdalina é degradada em cianeto de hidrogênio, interferindo no suprimento de oxigênio celular do organismo, podendo causar paralisia, insuficiência cardíaca e pulmonar, coma, podendo levar à morte. Dessa forma, deve ficar claro, que a ingestão de algumas sementes sem mastigá-las não causa qualquer problema, pois a mesma é provida de uma forte camada exterior que é resistente aos sucos digestivos e será eliminada. OBS:. Mas não é preciso criar pânico! Antes de serem liberadas para consumo, elas são obrigatoriamente processadas para remover o veneno

TRATAMENTO

DESCRIÇÃO BOTÂNICA
A cereja preta é uma árvore caducifólia que cresce de 15 a 30 m de altura com um diâmetro de tronco de até 70 a 120 cm, ocasionalmente mais, com flores em racemos. As flores são pequenas (10 a 15 mm de diâmetro), com cinco pétalas brancas e cerca de 20 estames, e são perfumadas; há cerca de 40 flores em cada racimo. A fruta é uma drupa de 1 cm de diâmetro, verde a vermelha no início, amadurecendo em preto; é geralmente adstringente e amargo quando ingerido fresco, mas também um pouco doce. O fruto é prontamente consumido pelos pássaros.

ORIGEM
Leste dos Estados Unidos

Fonte:
pt.wikipedia.org
http://www.saude.ufpr.br/portal/medtrab/wp-content/uploads/sites/25/2016/08/Manual-de-Toxicologia-Cl%C3%ADnica_pdf.pdf
Formatação: Helio Rubiales

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

MEIMENDRO-NEGRO - Hyoscyamus niger - Planta toxica - 186



















FAMÍLIA
Solanaceae

NOME CIENTÍFICO
Hyoscyamus niger

NOME POPULAR
meimendro

SINONÍMIA
Hyoscyamus agrestis Kit. ex Schult, Hyoscyamus auriculatus Ten, Hyoscyamus bohemicus F.W.Schmidt,  Hyoscyamus lethalis Salisb., Hyoscyamus niger var. annuus Sims , Hyoscyamus niger var. chinensis Makino,  Hyoscyamus officinarum Crantz Hyoscyamus pallidus Waldst. & Kit. ex Willd.,  Hyoscyamus persicus Boiss. & Buhse , Hyoscyamus pictus Roth Hyoscyamus syspirensis K.Koch,  Hyoscyamus verviensis Lej.  e Hyoscyamus vulgaris Neck.

PARTE TOXICA
Folhas e sementes

PRINCIPIO ATIVO
Alcaloides anticolinérgicos. Alcalóides tropânicos escopolamina (mais de 50%), hiosciamina, atropina e abundantes flavonoides, entre os quais rutósido.  H. niger é uma planta venenosa devido à elevada concentração e diversidade de alcalóides que contém, entre os quais a hiosciamina, um poderoso princípio ativo que em doses elevadas se converte em narcótico.

SINTOMAS
A síndrome anticolinérgica é caracterizada por pele morna, seca e avermelhada; boca seca; midríase; delirium; taquicardia; íleo e retenção urinária. Movimentos mioclônicos espasmódicos e coreoatetose são comuns e poderão levar à rabdomiólise. Poderão ocorrer hipertermia, coma e parada respiratória. Os choques são raros com os agentes antimuscarínicos puros, embora possam ocorrer em decorrência de outras propriedades farmacológicas do fármaco (p. ex., antidepressivos tricíclicos e histaminas).

TRATAMENTO
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
 É uma planta herbácea, anual ou bienal, robusta, com 0,4-1,0 m de altura e odor desagradável. As folhas são grandes, alternas, dentadas e agudas, de cor verde pálido, com tricomas robustos. As flores são de cor amarelo-ocre com venações de cor violeta ou acastanhadas na sua base. O fruto, em forma de cápsula, é um pixídio com duas câmaras separadas por um tabique mediano. Cada fruto encerra numerosas sementes milimétricas, de contorno tri-quadrangular, aplanadas, de cor castanho, recobertas de pequenas protuberâncias de forma irregular.

 Essa riqueza em alcalóides levou a que a planta seja usada em medicina tradicional e em homeopatia (como calmante). Foi utilizada como afrodisíaco, sendo o principal componente dos "filtros de amor" medievais. Extractos da planta são utilizados sob controlo médico para tratar delirium tremens, epilepsia, insónia, terrores, bronquite e asma, entre outras afeções

ORIGEM
Europa, Ásia Central, Ásia Ocidental e América do Norte. .

Fontes:
http://www.saude.ufpr.br/portal/medtrab/wp-content/uploads/sites/25/2016/08/Manual-de-Toxicologia-Cl%C3%ADnica_pdf.pdf (pag.129)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hyoscyamus_niger
Formatação e pesquisa: Helio Rubiales