PLANTAS TÓXICAS


Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais. A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso

ATENCÃO

AVISO IMPORTANTE

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados


TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

quarta-feira, 20 de junho de 2018

CLEMATIS - Crematis spp.- Planta Tóxica - 104







FAMÍLIA
Ranunculaceae

NOME CIENTÍFICO
Crematis spp.

SINONÍMIA

NOME POPULAR
Clemátis

PARTE TÓXICA
Toda a planta

PRINCÍPIO ATIVO
Protoanemonina (às vezes chamada de anemonol ou ranunculol ) é uma toxina encontrada em todas as plantas da família dos ranúnculos (Ranunculaceae). Quando a planta é ferida ou macerada , o glucósido instável encontrado na planta, ranunculina , é decomposto enzimaticamente em glicose e na protoanemonina tóxica.  É a lactona do ácido 4-hidroxi-2,4-pentadienóico.

SINTOMATOLOGIA
O contato com uma planta ferida causa coceira, erupção cutânea ou formação de bolhas em contato com a pele ou a mucosa . A ingestão da toxina pode causar náuseas , vômitos, tontura , espasmos , hepatite aguda, icterícia ou paralisia .

TRATAMENTO

DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Clematis é um gênero de plantas trepadeiras ou escandentes e floração muito decorativa. De textura semi-lenhosa ou herbácea e folhagem que pode ser sempre verde ou decídua, elas são originárias do hemisfério norte e adaptadas ao clima temperado. Ocorrem cerca de 290 espécies diferentes de Clematis, e mais de 500 variedades resultantes de hibridizações e melhoramento genético. Suas flores são isoladas ou reunidas em pequenos grupos, mas podem variar muito em forma e tamanho, de acordo com a variedade. Podem ser simples ou dobradas, abertas(planas) ou campanuladas, com pétalas estreitas ou muito largas, nas mais diversas cores e tons em degrade, além de estames longos, como um tufo no centro das flores. A floração estende-se pelos meses quentes. Atingem a altura de
1.8 a 2.4 metros, 2.4 a 3.0 metros. Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno Ciclo de Vida: Perene

ORIGEM
América do Norte, Ásia, Europa



FontesÇ
www.jardineiro.net/plantas/clematis
pt.wikipedia.org
Manual de Toxicologia Clinica
Formatação: Helio Rubiales 


terça-feira, 19 de junho de 2018

CRISÃNTEMO - Chrysanthemum spp. - Planta Tóxica- 103






FAMÍLIA
Asteraceae

NOME CIENTÍFICO
Chrysanthemum spp.

SINONÍMIA
Chrysanthemum hortorum , Chrysanthemum grandiflorum e Chrysanthemun morifolium

NOME POPULAR
Crisântemo

PARTE TÓXICA
O centro da flor é tóxico, sobretudo para os animais. E embora não de maneira letal, pode provocar distúrbios como urticária, coceira, dermatite de contato também nos seres humanos. Os pequenos animais reconhecem o perigo e se afastam. Das flores do crisântemo se extrai um inseticida natural, o piretro.

PRINCÍPIO ATIVO
Piretrinas

SINTOMATOLOGIA
Dermatite e leves distúrbios intestinais.  Em insetos, piretrinas  rapidamente causam a morte pela paralisação do sistema nervoso por meio do rompimento do sistema de transporte de íons da membrana dos axônios,
A intoxicação humana aguda a partir da exposição a esses inseticidas é rara.

TRATAMENTO

DESCRIÇÃO BOTÂNICA
As milhares de variedades cultivadas existentes vão desde cultivares anões com aproximadamente 30 cm de altura a plantas com cerca de 1 m de altura, cujos botões florais são por vezes retirados para que se desenvolva uma única grande inflorescência no ápice da planta. As inflorescências variam bastante na forma e nas cores, e podem ser classificadas, por exemplo, como simples, semidobradas, bola, pompom, anêmona e spider. Quanto a cor podem ser amarelas, brancas, cor-de-rosa, vermelhas e também de tons intermediários entre estas cores.

ORIGEM
Asiática


FONTE
www.luispellegrini.com.br/belas-e-perigosas-cuidado-com-as-flores-venenosas-elas
Formatação: Helio Rubiale