PLANTAS TÓXICAS


Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais. A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso

ATENCÃO

AVISO IMPORTANTE

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

PREVENÇÃO

1 - Mantenha as plantas venenosas fora do alcance das crianças e animais de estimação.

2 - Conheça as plantas venenosas existentes em sua casa e arredores pelo nome e características.

3 - Ensine as crianças a não colocar plantas na boca e não utilizá-las como brinquedos (fazer comidinhas, tirar leite, etc.).

4 - Não prepare remédios ou chás caseiros com plantas sem orientação médica.

5 - Não coma folhas, frutos e raízes desconhecidas. Lembre-se de que não há regras ou testes seguros para distinguir as plantas comestíveis das venenosas. Nem sempre o cozimento elimina a toxicidade da planta.

6 - Tome cuidado ao podar as plantas que liberam látex provocando irritação na pele e principalmente nos olhos; evite deixar os galhos em qualquer local onde possam vir a ser manuseados por crianças; quando estiver lidando com plantas venenosas use luvas e lave bem as mãos após esta atividade.

7 - Em caso de acidente, procure imediatamente orientação médica e guarde a planta para identificação.

8 - Em caso de dúvida ligue para o Centro de Intoxicação de sua região

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

WIKIPEDIA

Resultados da pesquisa

Pesquisar este blog

segunda-feira, 1 de abril de 2019

AZEVINHO-AMERICANO - Ilex opaca - Planta Tóxica - 190



FAMILIA
Aquifoliaceae

NOME CIENTÍFICO
Ilex opaca

NOME POPULAR
Azevinho americano,

SINONIMIA
Ageria opaca Raf. Ilex arenicola Ashe, syn de subsp. arenicola Ilex laxiflora Lam., Syn de subsp. laxiflora

PARTE TOXICA
As bagas são supostamente venenosas para os seres humanos

PRINCIPIO ATIVO
Ilicina

SINTOMAS
A ingestão pode causar diarreia e vômitos

TRATAMENTO

DESCRIÇÃO BOTÂNICA
A Ilex opaca é uma árvore perene de folhas largas de tamanho médio que cresce de 10 a 20 m de altura, excepcionalmente até 30 m de altura, com um diâmetro de tronco tipicamente de até 50 cm, excepcionalmente 120 cm. A casca é cinza-clara, áspera por pequenas protuberâncias rugosas. Os raminhos são robustos, verdes no início e cobertos de ferrugem, depois lisos e marrons. Os botões de inverno são castanhos, curtos, obtusos ou agudos. As folhas são alternadas, 5–7,5 cm de comprimento e 2–4 cm  de largura, rígidas, verde amarelado e fosco fosco até sub-reluzente acima (nitidamente menos lustroso do que o bastante similar Azevinho europeu Ilex aquifolium , geralmente amarelo pálido por baixo; as bordas são curvadas em vários pontos pontiagudos, e uma base em forma de cunha e ápice agudo; a nervura central é proeminente e deprimida, as veias primárias conspícuas; o pecíolo é curto, robusto, sulcado, espessado na base, com um par de minúsculas estípulas. As folhas permanecem nos galhos por dois a três anos, e finalmente caem na primavera quando são empurradas pelos brotos em crescimento.   As flores são branco-esverdeadas, pequenas, nascidas no final da primavera em curtos pedúnculos cymes das axilas de folhas jovens ou espalhadas ao longo da base de ramos jovens. O cálice é pequeno, de quatro lóbulos, imbricado na raiz, agudo, margens ciliados, persistente. A corola é branca, com quatro lóbulos semelhantes a pétalas unidos na base, obtusos, espalhados, hipoginos, imbricados em botão. O caule da flor é peludo com uma bráctea minúscula na base. Como todos os hollies, é dióico, com plantas masculinas e femininas separadas; apenas plantas femininas produzem as bagas vermelhas características. Um macho pode polemizar várias fêmeas. Flores masculinas têm quatro estames, inseridos na base da corola, alternados com seus lobos; filamentos em forma de sovela, exsertidos no estéril, muito mais curtos na flor estéril; anteras presas nas costas, células oblongas, intrusivas, de duas células, que se abrem longitudinalmente. O pistilo em flores femininas tem um ovário superior, quadrúpede, rudimentar em flores estaminadas; estilo querendo, estigma sessil, quatro lobed; ovules um ou dois em cada célula. A fruta é uma pequena drupa vermelha de 6 a 12 mm de diâmetro contendo quatro sementes; muitas vezes é persistente no inverno.

ORIGEM
Nativa do leste e centro-sul dos Estados Unidos, do litoral de Massachusetts, do sul ao centro da Flórida, e do oeste até o sudeste do Missouri e leste do Texas

Fonte:
https://en.wikipedia.org/wiki/Ilex_opaca
Formatação e pesquisa: Helio Rubiales

ÁRVORE-DE-CÂNFORA - Cinnamomum camphora - Planta toxica - 189




FAMÍLIA
Lauráceas

NOME CIENTÍFICO
Cinnamomum camphora

NOME POPULAR
Canforeira, alcanforeira, cânfora, Nome francês: Camphrier, arbre à camphre, camphre, Nome inglês: camphor tree , Nome alemão: Kampferbaum . Nome italiano: cinnamomum camphora  e Nome espanhol: Alcanforero

SINONÍMIA

PARTE TOXICA
Madeira dos ramos e caule

PRINCIPIO ATIVO
Essência aromática ou óleo essencial: cânfora, safrol e terpineol.

SINTOMAS
Toxicidade Menor: A ingestão dessas plantas pode causar doenças menores, como vômitos ou diarreia. Pode apresentar reações alérigicas.

TRATAMENTO

DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Cinnamomum camphora é uma grande árvore (megafanerófito) de folha perene, com ramos frágeis que alcançam os 20 metros de altura. As folhas são de filotaxia alterna, pecioladas, de forma ovalada, coriáceas e acuminadas, de coloração verde brilhante e com três nervuras principais. As folhas apresentam nas axilas umas pequenas glândulas. As flores são brancas amareladas e ocorrem em maio-junho, agrupadas em panículas corimbosas dispostas nas suas axilas. O fruto é uma baga em forma de globo de coloração avermelhada que se torna negro quando amadurece. A espécie apresenta uma fitoquímica complexa, rica em princípios activos. O óleo de cânfora é obtido por destilação a vapor da madeira desta espécie.

ORIGEM
Extremo Oriente, particularmente do Taiwan, do Japão e da China meridional.

Fontes
https://pt.wikipedia.org/wiki/Cinnamomum_camphora https://www.criasaude.com.br/N18354/fitoterapia/canforeira.html
Formatação: Helio Rubiales