PLANTAS TÓXICAS
Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais.
A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso


LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS
Clique para consultar

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

TUNGUE - Aleurites fordii Hemsley - Planta Venenosa - 55

Sementes

Folha em formato de coração
Árvore
TUNGUE
FAMÍLIA: Euphorbiaceae
NOME CIENTÍFICO: Aleurites fordii Hemsley
NOME POPULAR: tungue, árvore-do-tungue, tung, castanha-purgativa
PARTE TÓXICAS: sementes e outras partes da planta
PRINCÍPIO ATIVO: toxialbuminas
SINTOMATOLOGIA
Náuseas, cólicas abdominais intensas, vômitos, diarréia, secura das
mucosas, letargia e desorientação. Nos casos mais graves, causa desidratação,
midríase, taquicardia, cianose e hipotermia.
TRATAMENTO
Esvaziamento gástrico e medicação sintomática
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Tungue é o nome comum de duas espécies de árvores de pequeno porte da família Euphorbiaceae, Aleurites fordii Hemsl. e A. montana (Lour.) Wils. (com propostas para reclassificação como Vernicia fordii e V. montana segundo Ling et al.,1995). Essas espécies são cultivadas com objetivo de produzir sementes das quais se extrai, por prensagem e com o uso de solventes, um óleo denominado "óleo de tungue", internacionalmente conhecido como “tung oil” ou “wood oil” (“óleo de madeira”). Esse produto é utilizado principalmente na indústria de resinas e tintas, tendo como principal característica sua secagem rápida.
O tungue é nativo da Ásia, onde é cultivado predominantemente na China. É plantado comercialmente também na América do Sul, nos Estados Unidos e na África. "Tung" significa na língua chinesa "coração", nome inspirado no formato das folhas dessas plantas.
Reitz (1988) descreve A. fordii como árvore caducifólia de 3 a 9 metros de altura com ramos robustos, glabros, com superfície lenticelada e folhas glabras, ovadas ou cordadas de 7 a 12 cm de comprimento. Segundo esse autor, as flores do tungue aparecem antes das folhas, após o período de dormência hibernal, com pétalas brancas com estrias roxas e oito a dez estames.
Segundo Barroso et al. (1999), os frutos (FIGURA 2) são do tipo drupóide, com pericarpo nitidamente diferenciado em epicarpo, mesocarpo e endocarpo. O epicarpo e o mesocarpo têm consistência fibrosa. O endocarpo tem textura coriácea, apresentado o espaço central dividido em falsos septos transversais, formando, em geral, quatro a cinco câmaras (podendo variar de uma a quinze), cada uma com uma semente
ORIGEM: Asia
www.biodieselbr.com
Débora Gikovate Barg

Nenhum comentário:

Postar um comentário