PLANTAS TÓXICAS


Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais. A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso

ATENCÃO

AVISO IMPORTANTE

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

PREVENÇÃO

1 - Mantenha as plantas venenosas fora do alcance das crianças e animais de estimação.

2 - Conheça as plantas venenosas existentes em sua casa e arredores pelo nome e características.

3 - Ensine as crianças a não colocar plantas na boca e não utilizá-las como brinquedos (fazer comidinhas, tirar leite, etc.).

4 - Não prepare remédios ou chás caseiros com plantas sem orientação médica.

5 - Não coma folhas, frutos e raízes desconhecidas. Lembre-se de que não há regras ou testes seguros para distinguir as plantas comestíveis das venenosas. Nem sempre o cozimento elimina a toxicidade da planta.

6 - Tome cuidado ao podar as plantas que liberam látex provocando irritação na pele e principalmente nos olhos; evite deixar os galhos em qualquer local onde possam vir a ser manuseados por crianças; quando estiver lidando com plantas venenosas use luvas e lave bem as mãos após esta atividade.

7 - Em caso de acidente, procure imediatamente orientação médica e guarde a planta para identificação.

8 - Em caso de dúvida ligue para o Centro de Intoxicação de sua região

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

sábado, 20 de junho de 2009

TINHORÃO - Caladium bicolor Vent.-Plantas Tóxicas-06



montagem de várias espécies








detalhe da folhagem



uma das mais comuns


várias espécies
TINHORÃO
FAMI LIA
Aráceas.

NOME CIENTÍFICO
Caladium bicolor Vent.

NOME POPULAR
Tajá, taiá, caládio, tinhorão, caládio, tajá, taiá e coração-de-jesus

PRINCÍPIO ATIVO
oxalato de cálcio e saponinas

PARTE TÓXICA 
Todas as partes da planta.

SINTOMATOLOGIA
A ingestão e o contato podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vômitos, diarreia, salivação abundante, dificuldade de engolir , edema de glote e asfixia. asfixia, o contato com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea.

DESCRIÇÃO BOTÂNICA 
O tinhorão (Caladium bicolor) é uma planta bulbosa muito apreciada devido à sua folhagem ornamental. Ela apresenta folhas grandes, rajadas ou pintalgadas, com duas ou mais cores e tonalidades de branco, verde, rosa ou vermelho. As inflorescências têm importância ornamental secundária e são muito parecidas com as do lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisi), sendo brancas ou esverdeadas e podem ser pintalgadas como as folhas. A floração ocorre no verão. Há mais de 1000 variedades de tinhorão atualmente.
Diversidades de cor obtidas por melhoramentos genéticos, com folhas com desenho cordiforme ou sagitado e de textura macia, com exuberantes e notáveis colorido, apresentam-se nas cores branca, pintadas ou manchadas de vermelho, rosa ou branco ao longo das nervuras sobre fundo verde. Pelo seu aspecto colorido, chama a atenção das crianças.

ESPÉCIES
Caladium bicolor, Caladium brasiliense,Caladium cucullatum, Caladium esculentum.Caladium giganteum, Caladium hortulanum, Caladium humboldtii Caladium maculatum,Caladium picturatum, Caladium pubescens, Caladium sagittifolium, Caladium schomburgkii e Caladium zamiifolium

ORIGEM
América Central

Fontes:
https://www.google.com.br/search?rlz=1C1LENN_enBR480BR480&ei=w6k6W-3OFsOxwATLwJe4CQ&q=tINHRÃO&oq=tINHRÃO&g http://www.saude.ufpr.br/portal/medtrab/wp-content/uploads/sites/25/2016/08/Manual-de-Toxicologia-Cl%C3%ADnica_pdf.pdf
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário