PLANTAS TÓXICAS
Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais.
A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso


LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS
Clique para consultar

terça-feira, 23 de junho de 2009

OFICIAL-DE-SALA - Asclepias curassavica L-Plantas Tóxicas-18






OFICIAL-DE-SALA
FAMILIA : Asclepiadaceae
NOME CIENTÍFICO: Asclepias curassavica L.
NOME POPULAR: Paina-de-sapo, oficial-de-sala, cega-olhos, erva-de-paina, margaridinha, imbira-de-sapo, erva de rato falsa, Algodãozinho-do campo
PARTE TÓXICA: todas as partes da planta.
PRINCIÍPIO ATIVO: Glicosídeos Cardiotóxicos (asclepiadina)
SINTOMATOLOGIA
Quadro semelhante à intoxicação por digitálicos.
Ingestão:dor/queimação, sialorréia, náuseas, vômitos, cólicas abdominais,diarréia.
Manifestações neurológicas: cefaléia, tonturas, confusão mental e distúrbios visuais.
Distúrbios cardiovasculares: arritmias, bradicardia, hipotensão.
Contato ocular: fotofobia, congestão conjuntival, lacrimejamento.
TRATAMENTO
Tratamento de suporte, com atenção especial aos distúrbios hidroeletrolíticos.
Antiarrítmicos habituais nos distúrbios de ritmo.
Antiespasmódicos, antieméticos, protetores de mucosa e adsorventes intestinais.
Contato ocular: lavagem com água corrente, colírios antissépticos, analgésicos e avaliação oftalmológica
DESCRIÇÃO
A oficial-de-sala é uma erva latescente, medindo de 0,5 a 1,0m de altura, com caule ereto, fibroso, cilíndrico, articulado, ramoso desde a base. As folhas são curto peciolaas, opostas cruzadas, lanceoladas, membranáceas, verde mais claro na página inferior, com nervura principal saliente e esbranquiçada, de onde partem diversas nervuras secundárias que não atingem os bordos da folha. Suas flores apresentam pétalas vermelhas e corona amarela, dispostas em umbelas. Frutos duplos-folículos. Sementes munidas de pêlos sedosos na sua porção apical que se destacam.
Uma dose de 1g por quilo de peso de um bovino pode matá-lo em 40 minutos. Além disso, a oficial-de-sala produz um látex fortemente cáustico.
ORIGEM: América Tropical e Subtropical
Fotos: Fabiane Ceronate (Flickr), Erv Evans

Nenhum comentário:

Postar um comentário