PLANTAS TÓXICAS
Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais.
A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso


LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

Carregando...

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS
Clique para consultar

terça-feira, 30 de junho de 2009

MANDIOCA-BRAVA-Manihot utilissima Pohl (Manihot sculenta ranz)-Plantas Tóxicas-26


















Raiz
MANDIOCA-BRAVA
FAMÍLIA: Euphorbiaceae.
NOME CIENTÍFICO: Manihot utilissima Pohl.
NOME POPULAR: mandioca, maniva.
PARTE TÓXICA: raiz e folhas.
PRINCÍPIO ATIVO
Glicosídios CianogênicoS (linamarina)
Nesta variedade de mandioca, chamadas "bravas" cujas raízes, quando ingeridas cruas ou mesmo cozidas, podem provocar intoxicações, porque encerram uma substância (um glicosídeo cianogenético de nome "linamarina") capaz de produzir ácido cianídrico (HCN) quando em presença dos ácidos ou enzimas do estomago. As variedades "mansas" (aipins ou macaxeras) também o encerram, porém em quantidades inócuas. A secagem (pelo calor do sol ou de secadores) elimina veneno por volatilização
SINTOMATOLOGIA
Liberam ácido cianídrico causando anóxia celular
1. Distúrbios gastrointestinais: náuseas, vômitos, cólicas abdominais, diarréia, acidose metabólica, hálito de amêndoas amargas.
2.Distúrbios neurológicos: sonolência, torpor,convulsões e coma.
3.Crise típica: opistótono, trismas e midríase.
4.Distúrbios respiratórios: dispnéia, apnéia, secreções, cianose, distúrbios cárdiocirculatórios.
5.Hipotensão na fase final. Sangue vermelho rutilante.
TRATAMENTO
Rápido atendimento com exames laboratoriais para detecção de tiocianatos na saliva ou cianeto no sangue e procedimenbtos médicos
*Nitrito de Amila por via inalatória 30seg a cada 2min: formação de cianometahemoglobina (atóxica).
*Nitrito de Sódio 3% - 10ml EV (adultos), se neces. tratar com Azul de Metileno + Vit C.
*Hipossulfito de Sódio 25% - 25 a 50ml EV (adultos), 1ml/Kg (crianças).
Dão origem a tiocianatos.O2.Hidroxicobalamina 15000mcg EV-formação de ciano-Cobalamina (atóxica). Esvaziamento gástrico.
DESCRIÇÃO BOTÂNICA
Arbusto de até 2 m de altura, também denominado "mandioca-amarga". Apresenta caule e ramos nodosos de coloração pardo avermelhada e folhas verdes ou vermelho arroxeadas. As raízes são utilizadas como alimento. Abaixo da casca encontra-se um látex, viscoso, branco azulado, de cheiro característico, onde encontramos em maior quantidade o ácido cianídrico que é o princípio tóxico deste vegetal.
Formatação e pesquisa:HRubiales
Fontes:
www.diabetes.org.br
portalsaofrancisco.com.br
DeboraGikovateBargwww.cesaho.com.br/biblioteca_virtual/arquivos/arquivo_87_cesaho.pdfhttp://felix.ib.usp.br/bib141/Textos_Aulas/T6_PT.PDF



Nenhum comentário:

Postar um comentário