PLANTAS TÓXICAS
Em algum grau, toda planta apresenta alguma toxicidade, mas a denominação plantas tóxicas se aplica àquelas cuja ingestão ou contato provoca sintomas de intoxicação. A intoxicação consiste em uma série de efeitos sintomáticos produzidos quando uma substância tóxica é ingerida ou entra em contato com a pele, olhos ou mucosas . Pela diversidade dessas plantas que vivem ao nosso redor, como plantas ornamentais nas residências, nos jardins e parques, cultivadas ou na sua forma silvestre. Deste modo, fica evidente o risco de intoxicação tanto para o homem como para os animais.
A importância do grupo das plantas tóxicas, não está somente nos riscos que possam causar, mas também dos benefícios que podem proporcionar , já que os princípios ativos são o que determina a ação de ambos os tipos, e há plantas medicinais que são tóxicas se ingeridas em excesso


LED Scroller Generator

As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento e muito menos de diagnóstico. Consulte sempre um profissional da saúde nos locais aqui divulgados

TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

Pesquisar este blog

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS

VOCABULÁRIOS DE TERMOS TÉCNICOS
Clique para consultar

sábado, 20 de junho de 2009

ERVA-DO-DIABO - Brugmansia suaveleons-Plantas Tóxicas-10







ERVA-DO-DIABO
Familia: Solanaceae
Nome Científico: Brugmansia suaveleons (Datura suaveolens L.)
Nome Popular: Saia-branca, Tombeteiro, Zabumba-Branca, Babado, Trombeta-de-anjo, lágrima-de-anjo, Erva-do´diabo..
Parte Tóxica: Folhas e sementes.
Principio ativo: Alcalóide daturina, atropina e hioscina
Sintomatologia: Náusea e vômito, seguido de pele quente, seca e avermelhada; rubor de face, mucosas secas principalmente ocular e bucal. Taquicardia, confusão mental, mudanças repentinas de comportamento, alucinações com visão deformadas, vertigem, delírio acompanhado de convulsões, aumento de pulsação, dilatação da pupila, diminuição das secreções. Diminuição do poder de reflexo ou exercício motor da medula, paralisando a ação dos músculos estriados e excitando os músculos lisos.
Tratamento: Lavagem gástrica desde que seja feito em tempo habil. A lavagem gástrica deve ser enérgica e precoce. A hipertemia deve ser tratada com medidas físicas (bolsas de gelo, compressas úmidas, etc.) pois em geral são ineficazes os analgésicos. Diazepínicos podem ser utilizados para controle da agitação psicomotora muito intensa. Correção dos distúrbios hidroeletrolíticos e metabólicos e assistência respiratória são procedimentos importantes.
Origem: América do Sul
Descrição: Arbusto semi-lenhoso, de 2-3 m de altura, com folhas grandes, alongadas e finas. Flores grandes, pendentes, brancas, róseas ou amarelas, em forma de funil com 5 dentes no cálice dilatado. Exala um perfume agradável., mas diabólico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário